Notícias Sinodal

 

A Bíblia Sagrada

A Bíblia tem sido o livro mais lido, traduzido e pesquisado no mundo todo. Pessoas de diferentes religiões e confissões se interessam por seu conteúdo.

Ela se divide em: Antigo Testamento/AT (Primeiro Testamento) e Novo Testamento/NT (Segundo Testamento). É composta por 66 livros (Bíblia protestante) ou 73 livros (Bíblia católica).

O AT foi originalmente escrito em hebraico e aramaico; sendo que o NT foi escrito em grego.

E em português?

Embora já se tenha registros de alguns trechos traduzidos para o português no ano 1300, somente em 1681 foi publicada a primeira tradução completa do NT, realizada por João Ferreira Annes de Almeida.

Conheça mais sobre a história da tradução da Bíblia.

https://www.sbb.org.br/a-biblia-sagrada/destaques-da-historia-da-traducao/

João Ferreira Annes de Almeida

Almeida nasceu por volta de 1628, em Torre de Tavares (Portugal), e morreu em 1691, na cidade de Batávia (hoje Jacarta, ilha de Java - Indonésia). Faleceu deixando a tradução do AT incompleta (conseguiu traduzir até Ezequiel 48.21). “A tradução foi finalizada por Jacobus op den Akker, que era pastor da Igreja Reformada Holandesa, colega de Almeida. A Bíblia completa em português foi publicada, em dois volumes, no ano de 1753” (fonte: SBB).

Por que tantas traduções?

É importante ler e conhecer várias traduções e versões da Bíblia. Traduções são feitas em épocas diferentes. Além disso, o original está carregado de sentido, de tal forma que muitas vezes uma palavra leva horas para ser traduzida, pois exige pesquisa para que se encontre a tradução mais próxima ao sentido original.

Com a intensificação da pesquisa e da tradução, temos hoje uma melhor compreensão do conteúdo das Sagradas Escrituras. Certo é que não há uma versão que seja capaz de ser, ao mesmo tempo, formal e dinâmica.
Conheça algumas traduções da Sociedade Bíblia do Brasil – SBB:
* Tradução Brasileira (ou Versão Fiel): publicada em 1903
* Almeida Revista e Atualizada - ARA: publicada em 1959
* Linguagem de Hoje: o NT foi publicado em 1973
* Linguagem de Hoje: o AT foi publicado em 1988
* Almeida Revista e Atualizada (2ª versão): publicada em 1993
* Almeida Revista e Corrigida - ARC: publicada em 1995
* Nova Tradução na Linguagem de Hoje – NTLH: publicada em 2000
* Nova Almeida Atualizada – NAA: publicada em 08.11.2017

Versão NTLH – Nova Tradução na Linguagem de Hoje

A NTLH leva em conta o original, mas atualiza o conteúdo e a linguagem para dentro do contexto. Ou seja, trata-se de uma versão que prima pela língua comum no Brasil, com um vocabulário mais simples, de tal forma que as pessoas mais simples possam entender, mas que as eruditas também possam aceitar. Daí sua aceitação na maioria das comunidades.

Versão NAA – Nova Almeida Atualizada

O trabalho iniciou em setembro de 2013, baseado nas línguas originais (hebraico, aramaico e grego). Em 08 de novembro de 2017 a NAA foi publicada pela primeira vez e, desde então, tem sido uma versão muito aceita.

O que mudou na versão NAA – Nova Almeida Atualizada?

Veja alguns exemplos:
- Substituição de termos que exigem consulta ao dicionário, sem mexer nos termos mais técnicos;
- Segue o português culto (norma-padrão) escrito no Brasil atualmente;
- A segunda pessoa (tu/vós) foi mudada para “você/s”, a não ser em orações e nos Salmos;
- O uso da ordem de palavras segue o natural em português, e não a ordem natural do hebraico e do grego;
- A tradução ficou um pouco mais dinâmica, para ajudar na compreensão;
- Usa-se o nome em lugar do pronome, especialmente no início de uma seção (“Jesus”, em lugar de “ele”;
- Uso de frases mais curtas, sempre que possível;
- Organização do texto em parágrafos. Com isso, a edição da Bíblia preza a leitura no contexto;
- Leiaute mais arejado;
- Os diálogos são destacados e as páginas não ficam tão carregadas. Isso ajuda na leitura;
- O sistema de referências cruzadas foi ampliado;
- Foram acrescentadas notas explicativas;
- Alguns lapsos foram detectados e corrigidos a partir de meticulosa leitura do original;
- Cuidado especial a textos consagrados;
- Procurou-se manter o padrão da ARA – Almeida Revista e Atualizada (um texto clássico, que soa bem);
- A maior preocupação foi tornar o texto compreensível.
(fonte: SBB)